Crédito imobiliário com recurso de poupança: risco ou investimento?

Entenda o que aconteceu para que créditos de poupança como recurso imobiliário tenha crescido 53% em outubro.

 

Entenda como crédito imobiliário com recurso da poupança cresceu 53% em outubro

Quando se trata de investimento para adquirir a casa própria, várias opções de financiamento aparecem. Uma que vem crescendo atualmente é a de recurso em poupança. Entenda como é possível e o que aconteceu para seu crescimento.

São inúmeras as formas de conseguir obter um imóvel nos dias de hoje. Existem linhas de créditos populares, assim como empresas com seus consignados para fornecer um dinheiro extra para adquirir a casa dos sonhos.

O crédito imobiliário com recurso de poupança é uma alternativa não muito comum, mas presente na vida de muitos brasileiros.

Assim como em outras formas de financiamento, esse também possui suas vantagens e desvantagens. Entenda mais sobre.

Como funciona?

Alguns bancos possuem um Sistema de Poupança, no qual as economias de alguns brasileiros são guardadas para serem utilizadas em alguma eventualidade.

O crédito imobiliário com recurso de poupança foi cedido àqueles que possuem esse serviço e que gostariam de obter um imóvel próprio.

O valor integral dessas economias pode ser utilizado para financiar o imóvel desejado. Sendo assim, milhões de brasileiros puderam sacar esse dinheiro para dar de entrada em programas de financiamento para a casa própria.

Mudanças nas formas de pagamento

Houve, no último ano, uma queda de aproximadamente 0,5% nas taxas de juros dos financiamentos imobiliários de alguns bancos. Assim sendo opção com a poupança também sofreu as mudanças para melhor.

Nem tudo são flores

Apesar de haver uma queda na taxa de juros, infelizmente a desvalorização do imóvel ainda pode ser contada como uma desvantagem para quem gostaria de adquirir o próprio imóvel.

Entretanto, por mais que houvesse tido esse desempenho a desejar, o número de financiadores quase dobrou, significando que o mercado, por mais que tivesse andado mal, está se recuperando aos poucos.

Bancos de cunho público e particular lideram na hora de fazer o financiamento com recurso de poupança. Empresas especializadas em linha de crédito são mínimas se comparadas.

Ainda há esperança

A opção de investir no imóvel com o dinheiro das economias está trazendo aos brasileiros a chance de aquecer a economia novamente. Em outubro, houve um crescimento de 53% no financiamento imobiliário com recurso de poupança.

Os motivos para que esse fenômeno esteja acontecendo é por causa de justamente haver essa opção. Já que aproximadamente 40% da população não contribui com FGTS, não há a possibilidade de financiamento direto.

Por se tratar de um dinheiro que o consumidor já possui, os benefícios, além da queda dos juros, somam-se mais ainda.

  • O valor da entrada pode ser quitado totalmente com o dinheiro da poupança;
  • Sendo um dinheiro já guardado há algum tempo, o rendimento dos juros durante o tempo em que a quantia ficou parada pode completar a entrada do financiamento;
  • A burocracia em relação à contratação do serviço do financiamento fica bem menos porque não precisa das simulações.

Esse desempenho de saldo positivo em relação à obtenção da casa própria é bem melhor quando comparado à mesma época do ano, só que em 2017.

As expectativas para a continuação do bom desempenho são altas. Dessa forma também conquistamos a vantagem de a geração de novos empregos, formais e informais, durante a construção de todos esses imóveis.

Tenho poupança e gostaria de investir, como proceder?

Para quem gostaria de ter o imóvel dos sonhos adquiridos a partir do financiamento com recurso de poupança deve cumprir exigências mínimas, como por exemplo:

  • Ser maior de idade (18 anos) ou emancipado, porém com os documentos atualizados;
  • Uma conta poupança em algum banco que possui o financiamento desejado;
  • Documentos pessoais como RG e CPF.

As formas de negociação de valores são conversadas nos bancos também.

Sonho realizado

O imóvel ideal está mais próximo que nunca a partir das boas condições que os bancos têm fornecido aos brasileiros a partir do financiamento com recurso de poupança.

Crédito Imobiliário: Como reduzir juros ao financiar imóveis

Financiamento com a construtora: como financiar e as vantagens e desvantagens